Gel de Caracol 🐌 

Gel de caracol! Direto da Ásia para minha casa!

Então… tirei esse fim de semana para experimentações de beleza. Amo esses momentos!

Minha amiga que mora em Cingapura veio à Houston e trouxe um presente pra mim: um pote enorme de gel de caracol.  O uso desse gel está bem famoso por aqui, mas nem todos têm coragem de usar. Imagine passar a secreção desse bicho molengo no rosto?

Diz que um grupo de cientistas estava fazendo pesquisa com caracóis. Um dos pesquisadores tinha um corte na mão e percebeu que nas idas e vindas do caracol, o ferimento sarou muito mais rápido. Daí, iniciaram as pesquisas com esses moluscos, usando a gosma deles como elemento principal.

A textura desse meu é igual de gel de cabelo. O aroma é bem leve, quase não se sente

 

O meu é da Coréia do Sul (o paraíso dos cosméticos exóticos e eficazes). Ele parece com gel de cabelo, ou seja, não tem nada de mais. Basta limpar o rosto e pescoço ( ou o corpo inteiro) e passar o gel como um creme mesmo. Um pouquinho rende muito! 

No meu caso, esfoliei meu rosto com açúcar e um sabão líquido para rosto e enxaguei. Em seguida, passei o gel. Seca bem rapidinho. Não brilha nem nada. Dá pra passar maquiagem por cima numa boa.

Lista de ingredientes


Há trés dias venho passando a gosminha e não tenho nenhuma reclamação. Sinto minha pele mais macia e dizem que ele ajuda a cicatrizar machucadinhos e espinhas, além de acalmar a pele. 

Se vocês tiverem a oportunidade de comprar, acho que vale a pena 🙂

Advertisements

Personagens

Adoro perceber, observar as pessoas. Uma das atividades que adorava fazer quando morava em BH era ir em pastelarias do centro ( amoooo pastel frito!!!) e, ao comer, olhar as pessoas ao meu redor.

Gente, sério, geralmente me emociono ao ver as pessoas comerem. Eu acho que comer é um ato tão humilde, sabe? Ainda mais um pastel frito com caldo de cana-antes de pegar o ônibus, ir pro serviço, escola…. ou o almoço do dia.  Na discrição, você olha e contempla o simples. É muito bom.

E foi observando que escrevi e “descobri” personagens de BH riquíssimos de vida e história. Esse hábito já me rendeu muitas matérias bacanas e inesquecíveis.

E como é um hábito, continuo do mesmo jeito. Observando. E foi assim que vi esse personagem de Nova York, dentro da Grand Central Station. Foi uma  cena imperdível. Claro que tivexque parar e bater um papo.

O nome dele é Louis Mendes e é fotógrafo de rua “desde antes do meu pai nascer” como ele mesmo descreveu. E com um sorriso orgulhoso de canto de boca disse “coloca meu nome no google”. E pá! Tem um bocado de links com ele mesmo e até um curto documentário. Curiosa, perguntei porque o Mendes dele era com S (e não com Z) porque vi alí uma ligação com o nosso português. E pumba!!! O pai dele era de origem portuguesa… Mas ele só falava inglês, reforçou.

Louis me deu altas dicas de como usar minha câmera para ganhar um din din extra e também dicas de luz.

Com sua câmera antiga e cheia de histórias, o deixei. Não fiz foto com ele pois estava sem grana na hora, mas fiz uma foto dele. Adorei!

Valeu Louis!

img_1831

Fiz essa foto primeiro. Aí ele me disse: vc tem que aproveitar melhor a luz do ambiente. “Faz outra agora nessa posição” e me indicou qual lugarveu deveria ficar. O resultado é foto abaixo:

img_1834

Mais luz! Usei a iluminação do lustre para melhrar a claridade da foto.

 

Voltando..3,2,1

 

img_1768

Contemplando a paisagem: Central Park, 2017

Oieeeeeee! Depois de um longo inverno sem escrever aqui…A boa filha à casa torna. Que alegria!!

Tudo bem com vocês?

A correria está intensa é pra todo mundo mesmo? Sério: estamos ainda no início de fevereiro mas a minha sensação é de estar em Junho. De tão punk que está sendo.

img_1823

Saborear um cafezinho: com calma

Escrevo  porque  em 2017 minhas resoluções foram todas imateriais. Foram existencialistas, digamos. Entre as poucas mudanças que decidi alcançar e me esbaldar em 2017 estão: me dedicar ao que realmente gosto de fazer: escrever aqui, escutar músicas ( até isso tá complicado!!) e aprender a meditar. Acostumar com o silêncio e, assim, ficar menos nervosa e ansiosa com a vida. E contemplá-la. Fazer 30 minutos de caminhada por dia e acordar mais cedo ( leia-se 5 da manhã). Entre outras tão importantes quanto.

Então, voltemos ao DicasIngriveis 2017 com muita energia boa!!! E dicas imperdíveis 😉

img_1889

Perceber a Arte que nos rodeia. Sempre. 

 

 

 

Sobre alhos e nada de bugalhos

garlic-09

                                                                                                                      Foto:buyconsious.com

Essa raíz tão corriqueira em nossas cozinhas é uma das plantas mais antigas do mundo cultivada há mais de 5 mil anos. Acredita-se que era dado aos soldados romanos antes de irem para guerras. Os egípcios davam o alho aos escravos para aumentar a resistência deles.

Minha mãe diz que alho é bom pra tudo. E não duvido.

É rico em vitaminas e minerais e, para mim, não pode faltar em nenhum prato. Coloco alho na sopa, na pizza, no arroz, no feijão, no molho de salada….

Como alho com tudo. Até puro.

E o alho tem uma característica maravilhosa: é muito versátil para se armazenar.

Como milhares de mulheres e homens desse mundo, sou muito ocupada e pode parecer bobo, mas descascar alho toda vez que vou fazer comida me toma um tempo interessante e que não disponho. Então, o mais prático para mim é comprar um pote de alho fresco e já descascado. (Mas eu não gosto daqueles que já vêm picado não. Acho que o sabor se altera)

No entanto, uma vez descascado a vida útil dele se reduz e é necessário que fique refrigerado. Decidi então congelá-lo e o fiz de algumas formas: em dentes mesmo e ralado/processado.

Gente, é uma mão na roda e foi uma das melhores decisões culinárias que já tomei na vida.

O pote que comprei tinha mais de 2 quilos de alho. Se não congelasse iria se perder em 30 dias. Logo, dividi o pote em quatro frentes: uma parte eu fiz tempero (apenas com alho bem batido no processador e sal; uma outra parte eu deixei apenas picado, também no processador; a outra eu deixei com os dentes inteiros e a última parte eu deixei dentro de um vidro na geladeira pelo simples motivo que eu como alho cru sempre que sinto que uma dor de garganta está à espreita.

img_3518

Todos os meu queridinhos congelados e prontinhos para usar 🙂

Coloquei os picados em vasilhas pequenas de vidro e os dentes em saquinhos de plástico. Congelei tanto os inteiros quanto os picados e sempre que preciso dar aquele extra de alho pego uma das vasilhinhas no freezer e “raspo” com uma colher apenas a quantidade que vou usar. E uso sem dó porque tem tanto! Em seguida, (em seguida mesmo! Não pode esquecer pois descongela muito rápido) volto com a vasilhinha pro freezer.

img_3517

O alho picado congelado. Basta raspar com uma colher que sai com facilidade.

O sabor não se modifica com o congelamento não. Fica sempre com sabor fresquinho.

Então, para aqueles que gostam, usem e abusem dessa dica. É imperdível. 🙂

P.s: Sobre comer alho cru. Por conter alicina e alina, o alho  tem efeitos antibactericida e antiinflamatório.E o mais eficiente seria ingerí-lo cru. Vc pode ralar o alho cru  e colocar no feijão  ou na sopa – já no seu prato- sem que a raíz passe por altas temperaturas. Ou você pode simplesmente mastigar um dente de alho. Eu sou adepta às duas opções.

Para poupar as pessoas ao meu redor, como o alho cru antes de dormir. Daí o bafinho passa enquanto tenho um sono de princesa. Super recomendo. hi hi hi

img_3516

O alho picado se descongela em menos de 3 minutos